A Regra de Ouro na escolha alimentar segundo o Ministério da Saúde

Na mais recente versão do Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado em 2016 pelo Ministério da Saúde, muitos assuntos importantes sobre alimentação saudável são colocados em pauta. Esse guia é gratuito e está disponível na internet. Você pode baixar em pdf clicando aqui. Na página 47, eles falam sobre a regra de ouro para quem fica em dúvida se um alimento é permitido ou não para o consumo.


A regra é bem simples, mas muito valiosa! Seguindo ela fica muito mais fácil acertar na hora de escolher os alimentos e produtos alimentícios.



A REGRA DE OURO

"Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados."


Alimentos in natura


Como o nome já diz, o alimento in natura é aquele que está na sua forma natural, original; da forma que aparece na natureza. Vamos pegar como exemplo o peixe. Quando você compra o peixe fresco na peixaria ele é considerado um alimento in natura. Outros exemplos seriam as frutas, os legumes, as verduras, as carnes, dentre outros. Esses alimentos devem ser a base da nossa alimentação, e podem ser consumidos em todas as refeições do dia.


Alimentos minimamente processados


São aqueles que passaram por um processo mínimo, mas ainda sem adição de nenhuma substância. Um filé de peixe congelado ou desfiado seria um exemplo de alimento minimamente processado. Reparem que ele passou por um processo, mas continua sendo peixe e só. Esse tipo de alimento também deve ser prioridade na nossa alimentação, assim como o in natura.


Alimentos processados


Quando dizemos que um alimento foi processado, assumimos um nível maior de industrialização. Aqui há adição de substâncias, ainda que em pouca quantidade. Seguindo o raciocínio do peixe, o peixe em conserva (atum, sardinha...) seria um exemplo de alimento processado. A adição do óleo e do sal nesses alimentos faz com que sejam considerados processados. Esse tipo de produto deve ser limitado dando preferência para que sejam consumidos em pequenas quantidades, como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados.


Alimentos ultraprocessados












Esses produtos devem ser evitados com todas as forças. Eles são uma das grandes causas do cenário de sobrepeso e doenças que observamos no nosso país e no mundo. Esse tipo de alimento não só recebeu um ou outro ingrediente, mas vários que são maléficos à saúde, como os aditivos alimentares (corantes, aromatizantes, emulsificantes, conservantes, etc...), e quase sempre possuem quantidades exageradas de sal, açúcar e/ou gordura. Um patê de atum industrializado, ou um empanado pronto de peixe (nuggets) seriam exemplos de alimentos ultraprocessados.


Você pode usar esse raciocínio para simplesmente todos os alimentos que existem. Vamos ver outros exemplos:


Seja o mais natural possível e evite os industrializados o máximo que puder. Não importa o quão "fitness" eles pareçam ser, sempre serão cheios de açúcar, gordura, sódio e/ou aditivos químicos. Coma comida de verdade e esqueça os pacotes!



Um Beijo da Nutri,

E VIVA NA MEDIDA!



#saúde #guiaalimentar #ministériodasaúde #supermercado

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
©  2019 por Rebecca Coutinho - Nutrição e Reeducação Alimentar.
     Tel.: +1 (561) 345-9081
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon