Meu antes e depois em 2016: veja como perdi peso, gordura e circunferências

Gosto de usar esse espaço do blog para trazer sempre novos aprendizados para vocês que me acompanham. Procuro sempre separar o lado pessoal do profissional e sei que isso é bastante saudável. Mas hoje, no último post de 2016, decidi compartilhar algo da minha vida pessoal que tem tudo a ver com a minha vida profissional e que pode trazer grandes ensinamentos para vocês.


"Nutri, que bom que você é magra!"

Não ouvi isso nem uma nem duas mas muitas vezes na minha profissão. Eu sei que o conhecimento é algo que independe da sua condição, ou seja, eu seria uma nutricionista boa sendo magra ou não, mas isso é um fato: a gente vive aquilo que acredita. E eu acredito 100% no que eu ensino.


Nunca pensei em ser nutricionista. Já quis ser professora de história, promotora, publicitária e psicóloga. Escolhi ser nutricionista por 3 motivos: 1) As matérias da segunda fase do vestibular eram química e biologia, e eu era boa nelas; 2) Queria ser magra para sempre [me julguem]; e 3) Ninguém ia me matar por fazer uma dieta [rsrs]. Nada de mágico, né? E você aí pensando que era meu sonho de criança... não, não era.


Assim que entrei na faculdade já amei tudo, mas só quis seguir a área clínica nos 45 minutos do segundo tempo. A verdade é que me apaixonei quando consegui emagrecer a primeira cliente e desde então não me imagino sendo outra coisa.


Mas vamos ao que interessa. Eu entrei na faculdade comendo biscoito recheado, caldo knorr, presunto, salsicha... durante a faculdade fui mudando muitas coisas, mas a grande mudança veio mesmo depois de formada, porque eu não admitia falar uma coisa e fazer outra. Então comecei a mudar meus hábitos, minha alimentação e muita coisa mudou. Nesse ano a coisa ficou mais séria... me fiz cliente e monitorei meu parâmetros como faço com eles e por isso tenho tudo registrado. Não vou mostrar aqui toda a minha evolução, mas a parte mais importante dela a meu ver.


No início de agosto eu não me pesei, mas foi minha pior fase. Cheguei a aproximadamente 54 Kg durante minha viagem aos EUA (para a minha estrutura corporal é bastante). Quando voltei as pessoas diziam que eu estava mais "troncudinha" [ai, as pessoas... hahaha] e eu sabia que não estava gorda, mas estava chegando lá. Eu me lembro de em julho ter olhado no espelho e pela primeira vez estado completamente insatisfeita com meu corpo e com vergonha, uma coisa que nunca tinha sentido. Me lembro de ter me assustado comigo mesma em duas fotos. Talvez esses sentimentos sejam comuns a você.

Eu podia ter sentado no sofá com um pote de sorvete? Podia. Eu podia ter ignorado esse ganho de peso, já que para muitos eu continuava magra? Podia. Eu podia ter feito uma dieta maluca? Também podia. MAS EU DECIDI MUDAR. Decidi que aquela menina do espelho não era a Rebecca que sempre pesou 49 Kg e definitivamente não era a profissional que eu gostaria de ser.


Na mesma semana que voltei de viagem fiz as seguintes mudanças:


1) Parei completamente com o anticoncepcional: isso é bem pessoal e não quero te induzir a parar também, mas a pensar sobre isso. Aquela bomba de hormônios estava destruindo meu corpo de dentro para fora e a mudança foi nítida. Já na primeira semana sem o remédio meu corpo desinchou e minhas celulites quase que desapareceram. Às vezes só somos apresentadas à esse método, mas existem vários outros tão ou mais eficazes. Já conversei com minha ginecologista e estamos fazendo todos os exames para que eu coloque o DIU já em fevereiro. Procure saber mais sobre esse ou outro método que se adeque a você, mas fuja dos hormônios!


2) Assinei o plano anual em uma academia: existem várias formas de fazer atividade física além da academia, mas no meu caso eu sabia que precisava pagar algum lugar para me motivar, e precisava pagar por muito tempo para não desistir. Quando eu fazia atividade física por conta própria eu furava bastante... Hoje eu vou todo dia para a academia [exceto quando não da mesmo]. Vou sábado, domingo, feriado.. todo dia tô lá! Vale a pena quando vê os resultados!


3) Melhorei ainda mais a minha alimentação: Quem convive comigo sabe que eu também como besteiras de vez em quando, mas também sabe que não deixo de comer minhas saladas super variadas e minhas frutas. Certos alimentos eu cortei completamente da minha vida! Minha técnica é não comprar nada que não seja saudável: se der vontade de comer tenho que sair pra comprar [e eu nunca saio.. rs]. Cortei principalmente as químicas, os corantes, os conservantes.. os industrializados em geral hoje são excessão na minha alimentação. Eu já tinha uma alimentação balanceada quando saí da faculdade, mas hoje estou infinitamente melhor.


Veja o resultado: na minha última pesagem estava com 49,4 Kg, 17,9% de gordura, nível 1 de gordura visceral, 63 cm de cintura, e 75,5 de abdômen. E muito feliz!! Vamos melhorar? Sempre! Tenho minhas pequenas metas para 2017 e sei que vai ser um ano maravilhoso!

Eu sei que tem gente que não vai acreditar que eu estava assim, mas eu estava. Tenho mais algumas fotos dessa época e todas são assim. Algumas pessoas dizem que me acham mais bonita antes, mas eu sei o que gosto de ver no espelho.


Acredite que você pode chegar na sua melhor versão de si mesmo. Nenhum obstáculo é tão grande para parar alguém que está decidido a mudar. Junte suas forças e tente sempre mais uma vez. Se caiu, levante. Se parou, recomece. Aproveite que um novo ano está começando e invista tudo que puder para se orgulhar de si mesmo quando ele acabar. Você pode mais do que imagina!


Um Beijo da Nutri,

E VIVA NA MEDIDA!



#saúde #antesedepois #emagrecer #emagrecimento #perdadepeso

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
©  2019 por Rebecca Coutinho - Nutrição e Reeducação Alimentar.
     Tel.: +1 (561) 345-9081
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon